domingo, 1 de fevereiro de 2009

Vai muito além

O problema da novela não é sua exibição que dura uma hora, o mau dos reality shows não está
em sua meia hora diária, os programas sensacionalistas não fodem só a tardezinha enquanto
nossas mães estão com a tv ligada descongelando a carne pra janta. A pornografia internética não
fica só na punheta ocasional. O mau vai muito além. E não resolve espernear revoltado e xingar
tudo isso dizendo que a mídia é podre, ela é podre mesmo e quem criou foi a gente. O monstro é nosso.
O além disso tudo está quando a tv de casa não tá ligada, e a gente tá na rua, independente de onde for,
interagindo. E é aí que a merda toda pega a gente, e aí quando a gente vê uma vidraça de padaria dando
sopa paramos pra arrumar o cabelo e olhar a bunda pra ver se estamos no padrão BBB118. Sentamos no bar
e no meio da conversa sabemos que outro conhecido nosso foi assaltado. Nisso o Datena nosso de cada dia
pula do nosso inconsciente e grita pra todo mundo da mesa ouvir que bandido bom é bandido morto. Na mesma
roda chega outra notícia que uma prima de uma irmã de uma amiga nossa foi traída e somos abençoados pela
Popovic e Márcia e damos o conselho de ela esfolar o safado arrancando até o último centavo e que quem tem
de sair de casa é ele, ela não. Enquanto isso eu já me distraí e esqueci do papo e virei minha cadeira no bar
pra olhar a moça que tá no balcão e fico pensando n'ela e eu juntos num quarto fazendo uma daquelas posições
boas que sempre estão na minha cabeça e nem preciso conversar com ela, aliás nem do nome eu preciso.
Somos muito mais que isso tudo, somos feitos de compaixão, coletividade e afeto, somos Amor. Só criamos um
sistema que não nos deixa lembrar o que a gente é.

2 comentários:

Marilia Ferreira disse...

por isso que só assisto Friends, House e Padrinhos Mágicos.

Rodrigo Artur disse...

Medo.