domingo, 4 de outubro de 2009

Nem é otimismo

Não é rir desesperadamente feito a letra do Frejat. É inevitável. Valdir pai do Juca me fala desde pequeno que pareço filho de rico. Tô sempre rindo. Mas Deus dá dessas de me fazer latino-americano,brasileiro, frequentador assiduo do murão da dona Olinda amém.
E aí chega o Eric, que chora comigo na porta da adega enquanto escuta uma história minha e da minha mãe. Aí eu conheço o Central rock bar, bar fuleiro e com conhaques e cacaus a preços acessiveis, aleluia. E a Edi é dona lá, e a Edi um dia lança na mesa onde está Fabi, Bola mais eu que você não levanta ninguém xingando, diminuindo e tal...onde assino Edi ? e por falar em Bola há muitos anos quando eu dizia com angustia que achava que nós estavamos ficando meio caretas por estar envelhecendo e que não zuavamos mais tanto feito antes disse algo que penso pelo menos 5 vezes na semana, que a essência é sempre a mesma. Ah! a essência, é essa a resposta! as vezes acho que o Bola é grego e de outras épocas, andava com Platão e Sócrates e esqueceu de morrer, um Matusalém. Ah, e tem o Edu também, esse aí que sai revidando a torto e direito. É que o Edu é tanto, e se tem tanto a falar do Edu que eu não digo, só cito. Aí o fanfarrão Deus me dá a Lê, essa aí que insiste em dizer que não é porra nenhuma que preste na vida. Não tinha outra irmã pra dar não ? uma mais comum, aí eu não seria tão vidrado nela e me ocuparia com outras coisas, por falar em complô celeste ele deu a letra pra Calcanhoto. Penso que foi assim: Adriana, escreve ESQUADROS aí pro Dú se ligar que isso é bom, e ele sempre vai prestar muita atenção no que a irmã ouve. E como eu sempre chupinho tudo da Lê, chupinhei esse som que ela pira, e qual é minha surpresa ? vem de brinde duas respostas, mais uma irmãos! glorificai. É isso Seu Valdir, é que ninguém vê minha sacola, mas garanto que é das boas viu, e o sorriso é de quem anda e pensa com mais de um, SEMPRE.

10 comentários:

Camilla para os menos íntimos... disse...

as vezes eu sinto saudade de vc e das suas observações...

Ana disse...

Ah! Que maravilha!

P. disse...

Olha, eu amei o texto. Ainda estou futricando geral, mas o principal mérito de eu ter pousado aqui- e esse vou ter que contar direto pro meu amigo Felipão - foi que pla primeira vez eu gostei de Novos Baianos. Explico: Phillips, o já citado, é um rapaz latino-americano com cara de russo que tem vinteepoucosanos e só ouve dinossauros. Mora numa kitinete onde mal cabe ele e que, em dia de festa, abriga mais de 50 pessoas. E que adora Novos Baianos, que eu só conhecia de nome. E na kit sempre eles. E eu dei de implicar: chega de NB, poxa! Mas decidi dar uma chance pros caras, porque caí aqui num domingo de manhã e foi bom. "só não muda de ideia quem não as tem", diz uma frase cafona em dos meus contatos do msn. É isso aí, mudei. Ou vou tentar, pelo menos.

.leticia santinon disse...

Filho da puta, já disse que eu quero chorar menos? Então pare de escrever essas coisas.

Adoro essa música. a valer.

Bola, o André disse...

Um elogio ao elogio...

Baita sonzera hein porco... daquelas que dá vontade de ouvir bêbado pra chorar e cantar junto...

Eduardo Araújo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo Araújo disse...

Eu entrei aqui por causa do título, e eu sabia que vinha a maravilha do Eduardo escrevendo sem freio. Já tinha gostado do lance do ser sorridente rico e loiro (esqueceu do loiro), da origem helênica milenar do Bola, outros lugares e pessoas que eu fico com vontade de conhecer. Então me enconro citado no texto (!!!!) e as palavras bonitas sobre a Lê. Saio comovido do seu texto, como sempre. E eu queria ter um tempo maior para ir beber com todos vocês, pois vocês (o Edu e toda a máfia de amigos/irmãs que vou roubando) são pessoas que me fazem bem e me deixam feliz.

Eu ando com essa urgência para a alegria descompromissada, mas sem tempo de parada.

Por hora mando grande abraço. E aviso que passo aqui sempre sempre que posso para ter um dia melhor.

abço

FABI disse...

E eu admiro vocês sempre mais, pela sabedoria do Bola (sei lá de onde tira tudo isso, acho q ele tem o msn desses caras aí - platão e cia limitada...), pela simplicidade e jeito faceiro do Du, as lindas e difíceis palavras do Edu, as peripécias da Letícia, sem contar que me identifico com as milhares de faces que ela vive em um espaço tão curto de tempo, as amigas dela e assim vou, admirando, admirando e pensando... "tá vendo, depois eu que sou toda sorrisos"... rs

Marcela Paiva disse...

eu tbm adooooooro essa musica.

Lubi disse...

uma saudade daqui.
sério mesmo.