domingo, 6 de maio de 2012

E o Chelsea?

Tem dias que a rotina me assusta. Gosto demais de bola e sempre tô lendo notícia de futebol. Meu time só fode. O Palmeiras. Mesmo que a gente vire ou já seja o equivalente a Portuguesa (que diga-se, é muito grande sim! apesar de ter esquecido que é há muito) morro com ele. E mais, num ato maléfico e extremamente injusto passo a paixão pros filhos. E o que motiva não é o sofrer ad eternum, não. Meu time tem história. Tem Ademir da Guia, César Maluco, Dudu, Leivinha, Oberdan, Evair, Edmundo e São Marcos. Tem meu pai desmaiado na sala nas cobranças de penaltis da libertadores 99, meu vô xingando o zagueiro todo domingo e 15 milhões indo dormir (pela enésima vez) envergonhados na semana passada depois da vitória do Guarani. Tá uma draga do caralho há dez anos, mas não foi e nem vai ser sempre assim, feito a vida. Ontem na inglaterra o Chelsea venceu a copa da inglaterra batendo o Liverpool na final por 2 x 1. Soube num site esportivo, e lendo os comentários da notícia tremi com o mais do mesmo. Não deveria, por ser mais do mesmo, tempos nossos, mas tremi. Meninos defendendo o título do Chelsea por ele ser bilionário (e o quico?), dizendo que o Liverpool é time pequeno (pelo amor de Deus gente, googla aí, o "time pequeno" é penta campeão europeu e já venceu tudo quanto é campeonato britânico existente, sem falar que tem um dos hinos mais lindos do mundo, hino/promessa feita pela torcida jurando que o time nunca caminhará sozinho). E o Chelsea? O Chelsea é um clube centenário que até 2004, tinha 11 títulos bufa e praticamente nenhuma história. 2004 um russo mafioso o compra e injeta zilhões de dólares, monta um timaço cheio de craques e pouco caráter. E quando alguém tenta num comentário contar a história a defesa é pavorosamente fervorosa. Defendem o presente, e o pior do presente, o instantâneo. Não sabem e fazem questão de não saber nada do passado, por mais recente que seja. 2011 é a idade média e não vale um conto. Quando começou essa parada de a molecada começar a torcer pra time gringo, por mais que eu entenda a globalização, o enfraquecimento econômico (esse sim ad eternum, e não por vontade nossa) da américa latina que obviamente se estendeu pro futebol e campeonatos daqui, ainda assim eu achei bizarro. Bizarro um menino nascer no Rio, estado do Fla-Flu, Vasco e Botafogo e torcer pro Manchester United. Um mineirinho ter o Galo forte vingador e a raposa no quintal e ser barcelonista. Bem bizarro. Mesmo não concordando fui entendendo, novos tempos né, que bosta. Mas eis que a minha ignorância de mãos dadas com a rotina me pega desprevinido na esquina escura e pá! assusta outra vez. Porque pra mim eles torciam pra gringo por não ter tido acesso a história dos nossos, o novo tempo incutiu neles a vontade de pesquisar o que chegava, times europeus. E aí conhecendo as histórias de lá se apaixonaram, escolhendo por lá mesmo. Mas não, eles não conhecem nem daqui nem de lá, eles conhecem o poder, a visibilidade, o dinheiro. Tá na hora dessa molecada desligar o pc e o playstation e perguntar pro vô o que é um radinho de pilha e um gol perdido, um grito contido, guardado pra depois, ali, no estádio. Se amanhã um mafioso comprasse o São Caetano e o fizesse trilhardário emendando 5 libertadores com 3 mundiais em cima de Barcelona, Real Madri e Milan, ainda assim, o São Caetano pra mim continuaria sendo um time de prefeitura, conveniência política e sem torcida, logo sem história. E o Chelsea? o Chelsea é isso, um São Caetano bilionário.

2 comentários:

Tatiana Lazz disse...

Até que enfim começou a passar o que pensa para o papel! Fico torcendo pra que esse blog volte a ter um monte de posts novos. Gosto de te namorar e isso inclui gostar te ler. Te amo.

Bola, o André disse...

Puta que pariu!!! Sempre falamos disso, e apesar das pingas na cabeça nunca saiu tão bonito assim!!!

Falou tudo!!!