sexta-feira, 7 de maio de 2010

Minha bicicleta

Fazer os mesmos caminhos com ela, deixa tudo diferente.
E o vento? Ah! o vento...
E a bunda? Ah! a bunda...dói pra caralho.
O assento não tem culpa, é só acostumar, dizem.
Já foi pro estágio, foi pro trampo, logo vai pro litoral, se pá.
Falta ar, falta perna, e sobra vazio na cabeça quando pedala.
E essa sobra, é a melhor peça dela.

5 comentários:

c.miChel disse...

gostei do texto da bicicleta...rs musica legal também

FABI disse...

Ir pro litoral de bike... vc tá doido??!!

Ir deve ser de boa, agora voltar é que são elas... só se for de rabeira!!!

Ana... disse...

Um minuto por favor.

HAHAHAHHAHAHHAHAHHAHAHHAHAH
Toda vez q leio, dou risada!
E o pior é parar de rir.

Eu não aguento!
Sou bestinha d+ p rir.

E vc é muito engraçado.

Eduardo Araújo disse...

Eu nunca aprendi a andar de bicicleta. Invejo o mundo sobre duas rodas. O impossível equilíbro. E toda a beleza que há no impossível que se move veloz na estrutura de arame. Não é coisa pra mim, que sou crente demais na força da gravidade.

FABI disse...

Acho incrível a habilidade do Edu de ver o glamour das coisas simples.

Quando penso em bicicleta só consigo lembrar na dor nas pernas que dá pedalar...rs