domingo, 7 de dezembro de 2008

Chega a querer cuspi-las

A dor nas bolas é uma dor que dói na alma.

7 comentários:

Marcela Prado disse...

Ah,vá!!!


Ce tá que nem a Letícia agora?

E não vem não. Vc combinou um longo e bonito post sobre a sua dificuldade em pedir donzelas em namoro. Ou sobre sua síndrome comunista cada vez mais capitalista.

Marilia Ferreira disse...

é,...realmente não deve existir dor igual...

mas se parar pra pensar, parir um filho deve chegar a ser semelhante...

Ahh e apoio a Marcela para ler um texto longo e bonito sobre a dificuldade de pedir donzelas em namoro.

Quanto ao capitalismo já virou um tema já discutivel demais...que tal falar sobre o virus da ebola.. ou da extinção dos pandas no Brasil...até Santa Catarina!

Beijos

Rodrigo Artur disse...

Gostei do post. Acho que a dor na bolas é potencializado pela troca de carícias de cunho sexual, a expectativa pelo coito e decepção pelo objetivo não cumprido.
Para dor nas bolas, sexo.
Para falta de sexo, punheta.
Faltou esse trecho na música da Marisa Monte.

Rodrigo Artur disse...

Ah!
O nome da música da chatona é Diariamente.
Marcela, quando vc cantar essa música, inclua essa parte por favor.

Marcela Prado disse...

"Para dor nas bolas, sexo.
Para falta de sexo, punheta.
Faltou esse trecho na música da Marisa Monte."


Ahahahahahahahahahahahahahahahaha!!!

.leticia santinon disse...

É Marcela, e você nem viu o Rô e o Du fazendo esse dueto...ficou lindo...hahahaha

Marcela Prado disse...

eu imagino.
de uma poesia ímpar.

hahahahahahahaha.